Top Spin 4 - Visualmente o melhor jogo de Tênis.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Qual jogo é melhor na parte de esportes ?

0% 0% 
[ 0 ]
100% 100% 
[ 2 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
 
Total dos votos : 2

Top Spin 4 - Visualmente o melhor jogo de Tênis.

Mensagem  MP0x em Seg Abr 04, 2011 10:44 am

Visualmente, o melhor jogo de Tênis.




Se gráficos são o mais importante para você em um game, Top Spin 4 é para você. O tênis nunca esteve visualmente mais bem retratado virtualmente do que nesta última edição do já tradicional jogo produzido pela 2K Sports. O game lançado neste mês é, disparado, o que reproduz melhor os estádios principais de Roland Garros, Melbourne Park e Flushing Meadows. E Top Spin 4 não para aí: o jogo também tem a O2 Arena, onde é disputado do ATP Finals, e os estádios de Indian Wells, Miami, e Paris. Há outras arenas, mas genéricas – o torneio de Madri, por exemplo, não é jogado na Caixa Mágica, e o Grand Slam é em Dublin, em uma quadra de grama com uma pintura de dar calafrios no fundo de quadra. Não poderia ser mais diferente de Wimbledon

A lista de tenistas também é bem interessante. Além dos tops atuais (Nadal, Djokovic, Federer, Murray, Roddick, Davydenko, Simon, Wawrinka, Blake e Tomic), há craques do passado: Agassi, Sampras, Borg, Becker, Courier, Rafter, Chang e Lendl). O lineup feminino é menor, mas interessante: Serena, Wozniacki, Ivanovic, Safina, Jankovic, Zvonareva e Eugenie Bouchard – uma canadense de 17 anos, porque aparentemente o game precisa vender bem no Canadá. É, pelo menos, o que eu acho. Se alguém tiver uma explicação melhor, agradeço.

Gostei de muitos elementos no jogo, mas também não gostei de alguns. Antes que você, leitor, siga adiante neste post, fique ciente de que este “review”, como os sites de games costumam escrever, não é para gamers normais. A análise que proponho aqui é um pouco mais crítica, já que é feita por alguém que joga e gosta de tênis e para pessoas que jogam, apreciam e conhecem minúcias sobre a modalidade. O fã de tênis conhece os sons feitos pelos tenistas, detalhes típicos da movimentação de cada um, manias, tiques, etc.. Então, serei um pouco mais exigente do que aquele redator de revista especializada em games que nunca pegou numa raquete.

Comecemos pelo que gostei. A primeira impressão, obviamente, é o excelente visual. Cada tenista, além de fielmente retratado fisicamente, leva para quadra seus traços típicos. O forehand e a comemoração de Nadal estão lá, assim como o backhand típico de Murray e a pontinha do pé de Sampras levantando na hora do saque. O mesmo vale para roupas e raquetes. Djokovic veste Sergio Tacchini, Federer está de Nike e Roddick, de Lacoste. Raquetes Head, Wilson e Babolat também estão no jogo – cada tenista com seu modelo específico.



Também achei interessante a interação dos torcedores. Meu primeiro jogo exibição depois que comprei o game (já tinha testado o demo disponível na Playstation Network) foi entre Agassi e Sampras. Entre os games, era possível ouvir gritos de “Come on, Andre”, coisa rara em tênis para videogame. Em seguida, fui de Djokovic contra Murray, e um grupo de torcedores cantava, em coro, “Djokovic, Djokovic, Djokovic”. Tudo bem, não era aquele “olê, olê, olê, Nolê, Nolê”, mas já era algo legal de ouvir. Ainda falando da parte visual, este último jogo foi em uma quadra de saibro, e foi bastante legal notar que as marcas de quiques da bola e dos passos dos jogadores iam deixando a quadra marcada. É básico, sim, e nem é novidade no mundo dos games, mas seria um erro não grave incluir isso no jogo (e isso acontece em alguns games).

A lista de itens que eu não gosto não é exatamente pequena. Acho até que o game falha no mais essencial, que é a jogabilidade. É bem verdade que a 2K Sports acertou ao simplificar a mecânica de jogo, tirando aquela opção absurda de se rebater uma bola segurando um dos botões superiores. Ninguém usava mesmo… No entanto, depois de alguns dias jogando exibições e o modo carreira, continuo achando que os tenistas não se movem com a fluidez necessária em quadra. É como se eles fizessem swings idênticos, perfeitos, mas demorassem mais do que o necessário para se posicionarem e iniciarem o swing. É preciso ter o controle nas mãos para entender totalmente o que quero dizer aqui.

Apesar disso, é interessante a mecânica de jogo. Você precisa soltar o botão do golpe para iniciar o swing e o que define se seu golpe será razoável ou excelente é o timing – como na vida real. Se você solta o botão muito tarde ou muito cedo, corre o grande risco de ver sua bola ficar curta, facilitando um ataque do adversário. Se você acertar o timing, o golpe será ótimo. Além disso, o tempo para soltar o botão varia de acordo com seu jogador. É preciso iniciar o swing antes se você usa um tenista que tem uma preparação de golpe mais longa. Isto é outra característica que deixa o game bem, bem real.

No entanto, voltando às opções ruins da 2K Sports, uma delas foi na jogabilidade com o Move, que mantém a mecânica adotada para o Wii na versão anterior (sim, eu testei também a versão do Top Spin 4 para Wii). É preciso mover o braço, obviamente, para bater na bola, mas a direção do golpe é dada no Move Navigation Controller (ou do Nunchuck no Wii), que você deve segurar na mão oposta. Não é exatamente péssimo, mas se você já jogou Grand Slam Tennis, sabe que o game da EA Sports está muito à frente neste quesito. No GST, você faz o swing e direciona a bola com a mesma mão. Basta antecipar o golpe para fazer uma cruzada ou fazer o movimento um pouco mais tarde para mandar a bolina na paralela. É assim na vida real.



Outra falha do Top Spin 4 é a não inclusão do Hawk-Eye – ou mesmo um sistema genérico de replay, algo usado na última versão lançada da excelente série Smash Court. A cada dia que passa, o replay é parte mais viva do esporte, e um game que tenta transportar o circuito para a TV não pode se dar ao luxo de deixar o Hawk-Eye fora.

Ah, sim. É bom deixar aqui um alerta para quem já testou edições anteriores do Top Spin. O nível normal de dificuldade é patético. Ver Sampras sacar a 120km/h (não, não são mph) dá pena. Então, se você não é um novato na série, mude para o nível Hard logo de cara. São cinco opções: very easy, easy, medium, hard e very hard. O hard, que nem é tão difícil assim, é pelo menos tolerável para os veteranos.

Joguei uma temporada quase inteira no modo carreira no nível normal. Ganhei seis de oito torneios (estava com o joelho machucado em um e, no outro, estava escuro e eu não conseguiua enxergar a bola) e, mesmo assim, achei que a coisa ficaria difícil na hora de enfrentar os figurões. Aí entrei no Masters de Madri e derrotei Tomic e Federer sem perder games. Encerrei minha carreira ali. Vou começar outra em breve.

Espero que esta análise tenha sido esclarecedora. Alguns fãs da série podem ficar ofendidos com as críticas, mas eu avisei que seria rigoroso. Visualmente, Top Spin 4 é o melhor game de tênis já lançado. No entanto, a qualidade não é proporcional na jogabilidade nem no uso do Move. Ainda há muito para melhorar. Se eu acho que valeu a pena gastar R$ 150? Honestamente, não sei. Imagino que eu vá descobrir isso me aprofundando no modo de carreira (em que você cria um jogador e vai subindo no ranking com ele). Minha recomendação: se você não tem dinheiro sobrando, baixe a versão demo e veja por conta própria antes de abrir o bolso.

Coisas que eu acho que acho:

- A melhor combinação entre jogabilidade e simulação de circuito mundial, para mim, está no game Tennis Elbow 2011, que existe para PCs e MACs. Visualmente, é um jogo muito simples, mas nele você encontra quase todos os torneios do circuito mundial – incluindo Futures, Challengers, ATPs, Masters e Grand Slams. E também é necessário disputar qualifyings enquanto você não tem um bom ranking. É viciante. Jogar o modo carreira de Top Spin 4 (ou de qualquer outro game de tênis) depois de ter passado seis meses no Tennis Elbow escolhendo entre qualis de ATPs ou Challengers mostra que os games de console ainda estão longe de igualarem o circuito.

- Grand Slam Tennis, para Wii (será lançado para PS3 e Xbox 360 na versão 2011), ainda é o game mais divertido. E a jogabilidade com o Wii Motion Plus ainda é a melhor do mercado. Visualmente, não é nada de fantástico, e só há quatro torneios, mas os quatro são os Slams, e cada um deles tem três quadras fielmente retratadas. Gosto muito dele até hoje. Para festinhas em casa, é imbatível.
avatar
MP0x
Admin

Mensagens : 29
Melhores Fifa : 0
Data de inscrição : 20/03/2011
Idade : 24
Localização : Osasco/SP

Ver perfil do usuário http://fifalive360.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum